24 de março de 2014

Um post à Pingus Vinicus



Por norma, tendo a não confiar nos "sempre felizes". Soam-me a falso, a plástico! Às vezes a patético.
Soa-me a infelicidade envergonhada!

Toda a gente sabe que somos um país de melancolia, que as nossas obras poéticas maiores são escritas por desgraçados na desgraça! Diz o meu bom amigo Rui Massa que é uma herança Celta. Eu acredito.

Também me debato, constantemente com a amargura, inadaptação e tristeza depressiva. Sinto, confesso, um prazer estranho, quando penso e escrevo na depressão. 

Não tenho por isso, pachorra para as imensas fotos de garrafas especiais, em cenários especiais, com pratos especiais, com descrições perfeitas e na companhia de gente especial que grassam por essas redes sociais fora, como se a beleza da vida fosse construida apenas  de momentos subliminarmente bons!
A felicidade constante soa-me a second life. Associar o consumo de vinhos, somente aos momentos, aparentemente, bons, é uma patetice!
Este tipo de sentimento, transporto para o que leio nos blogs, sites, revistas,... Tudo muito bonito, polido e feito por gente muito, mas muito avisada. Nada contra. 
Apenas não consumo!

È por tudo isto que não tenho pejo em afirmar que considero o Pingus Vinicus, o mais humano dos bloggers nacionais. Não deixa de ser irónico que nenhum outro nick seja tão assumidamente um personagem, um heterónimo eno literário. Este, pertença do Rui Massa.
Gosto do facto do Pingus ser um de nós.  Com iguais medidas de felicidade e infelicidade. Gosto do facto de ser um tipo mundano, com relatos humanizados daquilo que sente quando bebe o vinho, dos motivos que o levam a bebe-lo!
Nada diferente da experiência de todos nós.
Gosto do que escreve o Pingus porque, à sua maneira, me sinto retratado nas suas amarguras, nas suas frustrações e no sentido anestésico com que usa o vinho.

Não vou discutir se ele é o melhor, o pior ou o do meio. Apenas alerto aqueles mais incautos que alegam que assim, ele não faz qualquer divulgação aos vinhos que posta. Faz sim, e muito.
Quem pensar o contrário, não percebe um boi de marketing!

Amigo Rui! Ergo o meu copo a ti e mais à tua loucura sã! Que nos presenteies por muitos e bons anos com estas brilhantes caricaturas. Nossa e da vida de merda que todos levamos nos intervalos dos estados etílico.
Ès grande!

(para quem não conhece, o blog de que falo chama-se Pingas no copo e podem lê-lo aqui!)



2 comentários:

JP Araujo disse...

Amen

Hugo Mendes disse...

ès cá um Lobista! ahahah!