3 de junho de 2008

Sensações...


Tenho vasculhado, sobre o assunto vinho, alguns livros técnicos e muitos outros que se querem fazer passar por tal. Mais ou menos todos abordam questões relacionados com o quotidiano de uma adega. A forma correcta de se desinfectar uma cuba, como lavar o chão, os cuidados a ter com os pontos mortos dos mecanismos de lavagem, a filtração, a fermentação, a prensagem, …
Sem duvida, informações muito válidas e úteis a quem quer fazer disto vida!
Do que estes livros não falam é das sensações associadas á profissão de Adegueiro ou Enólogo. Sensações como: sentir o coração bater nas mãos de cada vez que se processa um lote ou um tratamento mais delicado. A boca seca quando iniciamos um enchimento, a vontade de não falar com ninguém e rever mentalmente o diagrama de acções à procura da falta. O disparo de adrenalina de cada vez que ouvimos água a cair no chão! O sentir a ligeira alteração no som daquela máquina cujo barulho ensurdecedor se mistura com todos os outros da adega. É o não dormir de cada vez que aquela malvada barrica aparece com a volátil mais alta, ou aquela cuba que, sabe Deus porquê, apareceu oxidada. O perceber que o pequeno desvio aromático antecipa o problemas. O passar metade do ano a não querer ouvir falar na vindima e o outro meio a ansiar pelos aromas e o bulício de Setembro! É a magia de acompanhar a transformação dos componentes do mosto em vinho! A admiração pelo esforço e cansaço da nossa equipa, a vontade constante de superação, o partilhar do sacrifício! A alegria de ver a foto do nosso vinho na Revista. A nota favorável. A medalha do concurso!
A memoria disto tudo na apresentação do vinho aos amigos!...
Há enfim muitas coisas de que os livros não falam…
E…
Ainda bem!

1 comentário:

Leite disse...

Muito bem escrito! Gostei! ;)