Um livro de memórias já?

Não, é só um rascunho, para não me esquecer!
Um enólogo, mesmo que seja tão tolinho quanto eu, guarda sempre uns episódios que o marcam para a vida. Felizmente tenho o dom de, com o tempo me lembrar preferencialmente daqueles que me são queridos, que me fizeram crescer ou que me marcaram por algum ensinamento especial. Aos outros, simplesmente não arranjo nenhuma forma de terem graça e por isso recalco. Um dia, quando me deitar no divã é que vão ser elas!
Estou convencido que um espaço como este só tem a ganhar com o relato destas histórias que, em muitos pontos carecem de ser um pouco estórias também, não fosse a promessa que fiz, no primeiro dia deste blogge, de romancear sempre que o momento o pedisse.
Sou pródigo a protagonizar situações caricatas. Sou exímio em estar no local errado à hora certa. Encaro tudo isto como um filme cómico do qual é preciso desfrutar. O vinho só por si já é um estimulante do riso, faze-lo é, muitas vezes de ir às lágrimas.
Por isso decidi, depois de muito conjecturar no assunto, depois de vários pedidos (ok! ok! O da minha mãe não conta!), criar uma nova etiqueta á qual chamarei simplesmente Memória. Aqui relatarei estes episódios e prometo não o fazer de forma ordenada. Contudo, sempre que me lembrar de quando aconteceram, porei o momento. Espero que gostem!
Agora que já salivaram, vão para dentro que só começo a postar quando me apetecer!
Deixo as possiveis capas e titulos do livro. Façam sugestões para a terceira. Escolham a pior!



Comentários

airdiogo disse…
Eu vou mesmo para a imagem do meio. "Memórias de Enólogo Biodinâmico" acompanhado da imagem da máscara é um sucesso de vendas garantido.
Hugo Mendes disse…
eh! eh! Obrigado Diogo.

Mensagens populares