12 de Janeiro de 2013

Pepa e o mundo do vinho.

Imagem retirada daqui

Neste país somos todos muito críticos, sábios e cultos.
Depois de me aperceber  do buzz criado pelo vídeo da “kiduxa” Pepa ou lá como seja o “petit nom” da “piquena”, chego à conclusão simples e quase absoluta que a minha opinião é uma mixórdia heterogénea destas duas outras opiniões (Pipoca Mais Doce e Bruno Nogueira). Ponto.
Tento sair um pouco da moldura, à boa maneira de Rushdie, e observar a cena de um ângulo mais abrangente. O que vejo? O normal. Somos tomados pelo primeiro impacto! Ouvimos mas não digerimos. Ficamos por uma abordagem superficial à forma e mandamos todoo conteúdo às urtigas.  Pessoalizamos as nossas frustrações e os nossos desejos gorados na aversão à felicidade aparente dos outros. Ridicularizamos qualquer um que nos dê motivos, apenas pela necessidade de fazer a bitola por baixo.
É, de facto velhacaria alguém desejar mais trabalho e afirmar que está a juntar dinheiro (trabalhando e poupando) para algo que nós vemos como fútil. 
É completamente ultrajante não depender dos pais, de um rendimento mínimo ou de um subsídio de desemprego e ainda rejeitar o uso de um qualquer crédito ao consumo que, como todos sabemos é o mecanismo apropriado para se comprarem futilidades.
Não sei da vida dela, não quero, de todo saber!

Bom e o vinho perguntam vocês? Calma.... só querem pinga caraças!
Lá vai.
No vinho também temos muita gente assim. Claro. Idiotas existem em todo lado e alguns até provam vinho! Muitos deles aparecem logo a criticar a porquinha.... 
Não?
Dizem-me que esta Pepa não é a dos desenhos animados... Não? Porra, já  me estragaram a punchline!
Agora mais a sério. 
Vivemos num país onde os  produtores estão de rastos, principalmente porque geriram dinheiro que não era seu a produzir vinhos de "perfil marca branca" (nome de inventei agora para referir os vinhos que são feitos à imagem dos  "novomundistas" vencedores de prémios). Esqueceram-se de criar a marca Portugal. Estiveram-se nas tintas para a procura de nichos, para a criação de conceitos e optimização de perfis genuínos.  Procuraram a fama e o lucro imediato. Muitos até compraram os jipes antes de realizarem a primeira venda. Eu até sei como, os gajos da Comunidade Europeia é que não devem saber. 
Os consumidores, até parte dos mais sabedores, enchem o peito para falar de madeira e doce. Agora parece que já toda a gente consegue medir as quantidades de açúcar residual e saber, só de olhar, a graduação alcoólica do nectar.  Quando compram, vão aos saldos que os supermercados fazem à "pala" das calças curtas dos produtores. Quando abrem um pouco mais os cordões.... bem, já tem de ser por algo que apareceu na televisão ou muito bem cotado pelo guru que estiver na berra no momento.
A crítica, alimentou (alimenta?), de forma cega (?) e inquestionável  toda esta mentira insustentável que começa a cair como  os tordos em campo aberto num destes domingos de caça. Mas numa reserva com muitos sócios. Os críticos nascem, como sabemos, das pedras parideiras,  não necessitando de outro atributo mais que simplesmente existirem e gostarem de malhar uns copos.
È claro que as excepções existem. Mas porra, não podemos justificar constantemente o fracasso com a existência de excepções que, infelizmente não são suficientes para mudar o destino geral.
E andamos nisto, a fingir que estamos bem, com sucesso e a trabalhar muito. Não há crise no vinho, as exportações crescem, e os vinhos caros e bons consomem-se mais (a julgar pelas fotos espalhadas por essas redes sociais fora). Tudo vai bem e com elevação. Moral e intelectualidade.
A cultura "vínica" não difere muito da "geral" que têm os concorrentes da casa dos segredos, mas o truque é decorar uma frases que depois se trocam entre amigos. Assim, como assim estamos todos ao mesmo nível, somos pares.

Não meus amigos, não é (só) a Pepa que é fútil,  somos todos nós. Andamos é a fingir que somos diferentes e que temos sonhos muito mais elevados do que os  dela. Quero uma garrafa de Petrus, Romanée Conti  Cristal ou Dom Perrignon? Isso sim é elevação, cultura e sofisticação. Isso, não é desrespeitar a crise e a vida miserável que levamos, de uma forma Orweliana, mais uns que outros.
Népias meus amigos, a gaja não é mais burra que nós. Nela nota-se é mais por causa daquela cena da boca.
Abraço!

PS: Não vale a pena colocarem comentários anónimos ressentidos. Acho-lhes piada, mas não tenho muita pachorra  Apago-os na hora. "Tá bem?". Se é para dizerem que sou atrasado mental e assim, poupem-se ao esforço. Eu reconheço o facto!


6 comentários:

Anónimo disse...

Tens toda a razão Hugo, são todos um bando de mentecaptos, a Pepa, os produtores, os críticos, até os consumidores. Que grande escumalha!
Muitos parabéns por este teu blog e pela sua nomeação pelo Aníbal Coutinho , isto é que é um wineblog, não tem nada haver com estes bloguetas que por ai andam, mais uma vez muitos parabéns.

Luís Vasconcelos

Hugo Mendes disse...

Obrigado Luís. Pelo comentário e principalmente pelas considerações sobre este espaço.


Anónimo disse...

LOL

Anónimo disse...

O Luís tem razão grande escumalha LOL (o gajo está a gozar-te)

Epá este testo é digno de um premio nem quem lhe paga as contas escapa. LOL


Marco Soares

Hugo Mendes disse...

É pouco relevante se existe ou não. Educação, quem tem usa-a e eu agradeço sempre o que me dão, seja com vontade ou sem ela!
No fundo, se te dás ao trabalho de inventar personagens e vir aqui dar-me visitas é porque de facto me dás importância, e mais ao que escrevo.
Um muito obrigado por isso!

Anónimo disse...

Caro Hugo, eu não fiz este comentário com o intuito de ser desilegante consigo, simplesmente foi a melhor leitura que fiz do comentário do sr. Luís Vasconcelos, estarei errado olhe que não me parece, de qualquer forma dou-lhe o beneficio da duvida.
O facto de vesitar este blog é verdade venho cá algumas vezes não por lhe dar muito importancia a si nem aquilo que escreve, que não passam meras historinhas em torno dos amigos do vinho, portanto não vale a pena ficar voçê como uma virgem ofendida e muito sinceramente nem sei como é POSSIVEL este blog fazer parte da lista de nomeados pelo Anibal Coutinho que até é uma pessao que prezo muito, mas que muito provavelmente não leu com atenção que tipo de blog é este é mais da categoria do tipo criticas e elogios não vinho próprianente dito mas aos amogos deste.

Fique bem ;)

Marco Soares