10 de janeiro de 2014

Understanding Wine Technology

The science of Wine Explained by David Bird




Sabem aqueles livros que vos perseguem durante anos? Que jogam convosco às escondidas, arrancando vontades de leitura compulsiva alternadas com repulsas de abandono? 
Não? 
Sério? 
Ok, ok tenho de ir ver isto!

Pois bem, acabei por comprar, particularmente porque percebi que se destinava a todos  os que querem saber um pouco mais sobre os bastidores desta coisa linda do "fazer o vinho", mas não têm bases cientificas para entender um livro puramente técnico.
Queria, no fundo, perceber como descalçou ele a bota dos assuntos científicos para "pagãos"!.

Tecnicamente, entendo que não a descalçou muito bem, ou seja, o livro é muito bom, mas, quanto a mim, continua a ser incompreendido, na integra, por alguém que seja "analfabeto científico". 
Gabo-lhe o fabuloso sentido de síntese. Conseguiu explicar de forma resumida, assuntos que têm alguma complexidade e requerem alguma interacção com a rede de conhecimentos que os suportem. A organização está divinal. Adiciona um índice remissivo para facilitar o pendor consultivo da obra e toca, a meu ver, nos aspectos mais importantes para a compreensão deste meio.

O maior defeito do livro é, contudo, a extrema pobreza em esquemas explicativos. Muito úteis (fundamentais?) quando estamos a falar de um publico alvo que tem aqui o seu primeiro contacto com a maior parte das técnicas descritas.

Diz o autor, e eu acredito, que a vontade surgiu aquando da sua preparação para o exame de Marter of Wine, pelo que já podem ver que se trata de um compêndio belíssimo para os enófilos, mas especialmente para os profissionais do meio que não se encontrem ligados à produção propriamente dita. Como por exemplo, escanções, comerciais, escanções, restauradores, escanções, produtores, escanções, retalhistas e.... é possível que também possa ser útil aos candidatos a sommeliers!

Esperem! Se pensam que os enólogos e os adegueiros não têm nada a aprender com este livro, estão redondamente enganados. Têm. Temos sim, e muito! (deixem lá as piadas. Quem não souber fazer vinhos não vai, seguramente aprender aqui!).
Pode muito bem ser uma ferramenta que muitos precisam na construção do discurso. Ajuda na triagem do que interessa e não interessa dizer, para não passarmos uma hora a explicar o que poderia ser descrito em 10 minutos....
Conhecem alguém assim?

Sem comentários: