10 de março de 2014

O Português e o Françês

Foto usada a partir daqui


Sabem qual é a diferença entre um produtor de vinho  Português e um Francês?
Não?

Vejam lá se descobrem com estas pistas!

Discurso do Francês:
Somos o melhor povo do mundo. Temos as melhores castas do mundo. Temos os melhores vinhos do mundo. A nossa maneira é a única possível! 
Andamos nisto há mais de 200 anos.
Não gosta? È porque é burro! Beba merda!

Discurso do Português:
Somos um povo porreiro, hospitaleiro e simpático. Esperamos que gostem de nós. Temos muitas castas, mas as francesas são as melhores do mundo. Temos muito bons vinhos, mas não se vendem tão bem como os da _________ (preencher com o país produtor que está na moda!).
Não gosta? Está bem, nós passamos a fazer diferente! 
Andamos nisto há mais de 200 anos!



3 comentários:

Anónimo disse...

Eu penso que o BOM produtor faz os 2 tipos de vinho, ou seja, o vinho que os outros gostam e o vinho que ele gosta.
Não achas que quem quer vingar tem mesmo de seguir isto?
Ricardo

Hugo Mendes disse...

Sinceramente, de uma forma global, enquanto país e identidade de um país, não!

Contudo, o meu post é mais sobre a forma como se apresenta o discurso e os níveis de confiança. Não sobre o vinho em si!

Anónimo disse...

Em relação ao discurso e níveis de confiança, efectivamente tenho que concordar que, na maioria dos casos, somos uns desgraçadinhos, fazemos tudo o que os outros querem. Parecemos uns meninos de coro...
É claro que há excepções: Luís Pato, Niepoort, Quinta da Bageiras, Álvaro Castro, os Douro Boys, etc. Vendem os vinhos que eles querem e continuam a produzir.
Mas mesmo estes, a certa altura, têm que fazer aqueles vinhos "em massa" que pagam muitas contas ao fim do mês, certo? Era isso que eu queria dizer.
A identidade do país é muito bonita mas não chega para tudo. Acho eu.
Ricardo