23 de julho de 2014

Porquê TWA?

Foto usada a partir daqui.


Não sou muito prendado na arte de criar nomes. Este blog é uma das provas disso mesmo. The Wizard Apprentice (TWA para os amigos) é difícil de escrever e dizer. È grande, como não devem ser as marcas, e origina um acrónimo partilhado por uma companhia de aviação e pela publicação do mais influente critico do mundo (em todas as áreas) que só por acaso também actua no vinho. Podia ser pior?
Penso que não!

Contudo, há uma razão de ser.
Nos meus primeiros anos de profissão, trabalhei com um consultor de renome (Nuno Cancela de Abreu) e fui o 2º enólogo da casa. Naquela altura, tal como agora, era frequente receber visitas de "estrangeiros".
Sempre gostei das coisas no sítio, mas nunca gostei de termos como enólogo residente, 2º enólogo... "o outro", e por isso, quando me perguntavam se eu era o enólogo, eu respondia que não! Era o "the wizard apprentice"!

Acho a expressão feliz porque resume muito de mim, da minha forma de estar e dos meus gostos. Senão reparem:

1º: Sou, desde sempre fã de literatura fantástica, com predominância para aqueles que tentam criar ou recriar a inexistente mitologia das ilhas britânicas (Lendas Arturianas, Tolkien,...).

2º Tenho um fascínio pela "alquimia" das coisas, o seu funcionamento... o seu fundo. A forma como interagem os elementos para chegar ao resultado (há até colegas que me classificam como químico na abordagem ao conhecimento enológico. Eu penso que sou mais bioquímico!).

3º Entendo que a aquisição do conhecimento é contínua e infinita, fazendo de nós eternos aprendizes.

4º Era de facto um aprendiz de enólogo, pois não tinha uma única hora de formação dedicada ao vinho especificamente.

Por tudo isto, na hora de criar um blog que funcionasse como diário de bordo, caderno de campo e "pensatório", não me ocorreu que se chamasse outra coisa senão TWA.

O que acham?

2 comentários:

carrafouchas disse...

Assenta-lhe que nem uma luva.Continue assim.

Hugo Mendes disse...

Obrigado pelo apoio!
Abraço!