19 de abril de 2015

Coisas que me aborrecem - (VI)




Não há produtor que me deixe meter as mãos nas suas uvas sem que antes tenha de esmiuçar  o meu CV, fazer perguntas aos meus amigos, à minha família e às minhas cunhas. Remexer na minha vida para perceber se em algum momento eu cometi heresias suficientes para me rejeitar. Mesmo depois, se tudo está bem e conforme, se não apresento dividas ás finanças nem à segurança social, fico à experiência um tempo. Não vá fazer merda.
Concordo em absoluto!

Por outro lado. Não há idiota que se apresente como crítico* (porque ninguém quer ser líder de opinião) que tenha de mostrar ao mesmo produtor os seus certificados, demonstrar experiência ou competência de prova. Provar capacidade de análise e enquadramento. 

Qual é a lógica de exigir um génio para fazer um vinho para depois o ter enquadrado por um analfabeto? 

___
*Não sejam idiotas de generalizar. 

2 comentários:

Pingus Vinicus disse...

MUITO BOM :)
Abraço

Paulo Sousa disse...

Pois...
"Não há idiota que se apresente como crítico* "
Se calhar é por isso que alguém inventou a Matriz-WIVINI.
Ou seja
Recentemente, a wivini lançou uma inovação no seu catálogo de produtos online: a matriz wivini de classificação de vinhos. Esta matriz resulta de um sofisticado modelo matemático, que combina o preço de cada produto com a pontuação obtida em avaliações feitas pela crítica especializada (em revistas, livros de provas e blogs de referência, por exemplo). Este sistema, que incorpora métodos de interpolação, permite detetar e isolar facilmente aqueles produtos cujas avaliações são superiores à média dos restantes produtos no mesmo patamar de preços, permitindo assim ter uma visão imediata dos artigos com melhor relação qualidade/preço.

Cup.