30 de maio de 2015

#winecult - O Arranque

Querido diário:

Estou há horas a tentar encontrar as palavras certas para em ti escrever. Queria dizer-te o que este projecto representa para mim. Queria explicar-te porque estou tão feliz por finalmente nos termos decidido a engarrafar este nosso primeiro vinho. Queria contar-te o que se passou ontem na adega, que expectativas levava, que conversas tivemos e com que resoluções de lá saímos.

Não consigo ouviste? Não consigo!

Mas depois o Elias Macovela, grande amigo e companheiro das lides pingadas, um dos padrinhos desta aventura, pediu para nos sacar um video. 
E não é que está lá tudo!
Ora vê lá!



12 comentários:

Anónimo disse...

Não achei graça nenhuma, 2 gajos a brincar aos vinhos...enfim, haja paciência!

Hugo Mendes disse...

Isso!
Obrigado pelo apoio! :)

Anónimo disse...

Essas ironias, metem-me nojo!!!!
Reafirmo, haja paciência para gajos a brincar aos vinhos!
E para gajos que acham que essa é a verdade absoluta dos vinhos!!!
Deixem-se de romantismos...

Hugo Mendes disse...

Pois eu diria apenas... Haja paciência para quem tenta impor as suas verdades absolutas.

Anónimo disse...

Não devo ter visto o mesmo vídeo que tu. Concluiste isso a ver o vídeo ou isso é algum recalcamento antigo?

Amândio Cupido disse...

Também me parece que andam a brincar aos vinhos, o que não me parece nada mal :)

Hugo Mendes disse...

Obrigado Amândio! ::)

Sara Alxandra Fernandes disse...

Boa noite peço desculpa mas não foi o vinho que me trouxe aqui...Sou psicóloga e um bom frustrado deixa-me em êxtase!!!
Oh meu amigo, isso a nível de insucessos anda complicado, não?
Experimente destilar menos fel com os outros e gastar mais energia a produzir, pode ser que assim a vida lhe corra melhor!
Fica a dica.

Anónimo disse...

Sara, estou-me nas tintas para a tua psicologia mas respondo na mesma.
O meu nível de insucessos está muito baixo, quase zero.
Não tenho destilador em casa, gosto mais de água e vinho.
Estou a produzir o suficiente.
A vida corre bem neste momento.
Próxima dica, fico à espera.
E o outro anónimo, recalcamento só se for nos teus miolos...

Quanto ao resto, digo e reafirmo, FORA com os romances de vinho, se quiser ler romances, leio livros.

Sara Alxandra Fernandes disse...

Brutal! Ficou mesmo incomodado.
Não tinha por aí uma resposta menos infantil e previsível?
O amigo assim, está cada vez menos anónimo!
Segunda dica. Cuidado ao falar. Eu explico.
Se nos guetos por onde circula, falar desta forma, não é preciso ser psicólogo para lhe tirar a pinta em menos de nada. A não ser que estejamos na presença de um típico covarde, que só mostra a verdadeira essência de forma anónima.
As melhoras.

Anónimo disse...

Olá Hugo, bom dia.
Bem, a saga que vai por aqui e com um nível de conversa a baixar demasiado...
Voltando ao vídeo, fico muito contente por este projeto, espero sinceramente provar e aprovar o produto deste trabalho o quanto antes.
Na minha opinião, acho que há lugar para todos, para os milhões, para os milhares e para as centenas de garrafas, depende da bolsa do cliente final.
Já agora, foi impressão minha ou de vez em quando já falas à Porto?
Fico à espera de ver a garrafa por aí nalgum blog e, se quiseres, prová-la.
Fica bem.
Ricardo

Hugo Mendes disse...

Boa noite Ricardo,

Obrigado pelo apoio. Quanto à pronúncia,olha... não sei, nunca dei por isso, mas não descarto a possibilidade! :)
Abraço... depois provamos isto! ;)