19 de dezembro de 2016

Carta ao Pai Natal que há em ti



De manhã quando desci do quarto, deparei-me com uma árvore gigante na sala. Os putos estavam parvos como de costume e ontem não bebi álcool que chegue para estar com alucinações. Presumo portanto que seja Natal!

Sendo assim, e para evitar a desagradáveis comentários da minha parte, venho deixar uma listinha de presentes que me podes pôr no sapatinho sem necessidade de enfrentar terríveis humilhações.

Vinho: Aposta nos generosos. Madeira, Carcavelos, Porto e Moscatel. Contudo… toma atenção a dois ou três pormenores. Porto. LBV aceito… mas é o mínimo! Moscatel… roxo se faz favor. Madeira… os preços ajudam a perceber quais os que gosto mais. Carcavelos, como só há um… É à confiança!

Livros: Nada de gurus da auto-ajuda. Nada de romances ou histórias de amor, mesmo que meta vinho (já uma vez me enganei com isso e andei duas semanas em recuperação). Literatura da boa se faz favor. Biografias de gente inteligente ou que tenha feito algo útil pela Humanidade. Álbuns de viagem também gosto,... por ai!  Se forem livros sobre vinho, pede talão de troca pois há uma forte possibilidade de já os ter. Pensando bem… pede talão em todos não vá sair uma biografia da Cristina Ferreira ou do Cristiano Ronaldo. Estou sem grande tempo para ler, sabes!?!
Outra coisa, opta por comprar na Bertrand. Por nada em especial, há uma loja em Santarém, tenho cartão daquilo e se tiver muitos talões de troca posso apanhar uma overdose de compras.

Roupa: Não preciso, obrigado!

Material desportivo: Preciso muito de uma raquete de ténis, parti a que tinha. Que seja boa, leve. Topos de gama da Dunlop, Head e Babolat está bom! Sapatinhas de ténis, escolhe a marca Asics, e cuidado, nem todos os modelos são bonitos. Abre os olhos quando as comprares. Sapatilhas de corrida. Estrada, podem ser Nike ou Asics. Não sou muito exigente, são para complementar as outras que tenho, agora que vou iniciar novamente treinos para uma Maratona.

Bom, agora que já sabes toca a comprar que o tempo está a ficar curto. Com esta crise, preocupa-me que os melhores se esgotem. Como é hábito!

Adoro o espírito de Natal!




Sem comentários: