12 de fevereiro de 2017

Um vinho diferente de tudo o que foi feito até hoje?



Bom, podia dar uma de vendedor de banha da cobra, desses que encontra trabalho fácil em Portugal e dar-vos a ideia de que compus o comprimido do sucesso instantâneo, a formula do perfume com que Patrick Süskind arrebata o seu leitor no final apoteótico do romance O Perfume.

Não posso fazer isso! Nunca me dei bem com o logro, não é isso que está aqui em causa. Nunca será!

Um vinho de autor vive de muitos detalhes, mas vive essencialmente de um ponto de vista sobre algo. Neste caso é o meu sobre a região de Lisboa e duas das suas castas mais emblemáticas. Fernão Pires e Arinto.

Procurei que fosse um vinho limpo, fresco, de aromas delicado e medianamente intensos, mas ricamente complexos. Sabem aquela ideia das peras que fazem salivar, que comíamos da árvore em miúdos? Estão lá! Estão também lá uns toques citrinos maduros e uma linha vegetal que vem quase de certeza do Fernão Pires. Evitei contactos peliculares e batonagens. Quero toda a acidez protegida e desejo mantê-la viva e rústica pelo máximo tempo possível. Engarrafando cedo também ajuda nesta pretensão.

Todas as provas me têm dado bons sinais de evolução positiva, o vinho apresenta-se cada vez mais complexo, definido e limpo. O corpo segue o caminho dos bons Arintos, torna-se rico e mais gordo a cada nova prova.  Presumo que dará bom prazer no imediato (aconselho sempre a esperar dois ou três meses depois do engarrafamento) mas, a minha grande excitação é tentar perceber o que irá acontecer nos primeiros três a cinco anos, altura em que julgo que os aromas terciários aparecerão, que a salinidade estará evidente e que o vinho mostre todos os seus segredos.

Não vou esconder o entusiasmo. Estou muito esperançado neste vinho. Está-me a dar todos os sinais que me costumam deixar muito confiante. Já pedi rolhas para 25 anos, vamos ver quem aguenta mais tempo, se a rolha, o vinho ou a nossa vontade de o beber!

Relembro que continua a decorrer a pré-venda, neste momento já entrámos nas ULTIMAS 150. No total serão feitas certa de 2600 garrafas numeradas. Em baixo encontram uma imagem que resume como poderão fazer para reservar as vossas a um preço irrepetível (IBAN:PT50 0007 0000 1753 0800 1072 3).
Para primeiras visitas, sugiro a leitura dos post com a etiqueta Branco Lisboa.


Sem comentários: