8 de maio de 2017

A perfeição leva muito tempo a construir!



Querido Diário:

Um dos mantras que mais repito a quem trabalha comigo é o de que o perfil perfeito não vem na primeira colheita de um vinho. Leva tempo, precisa de trabalho, investigação, afinação. Se nos vinhos tranquilos acredito serem necessárias pelo menos 3 colheitas para afinar a 4ª, nos vinhos espumantes esse tempo é bem capaz de duplicar.

Quando entrei na Quinta da Murta, em Dezembro de 2005, tínhamos um espumante, já reconhecido como sendo de boa qualidade. A aptidão de Bucelas para produção de vinhos deste tipo era por demais evidente. Mas ainda não estávamos satisfeitos. Havia margem para progressão... muita! 
Não te quero entediar com detalhes, mas na minha óptica, estes vinhos são dos que acusam mais a intervenção humana. São somatório de minudências, muitas vezes tidas como desprezáveis nos "outros" vinhos, mas que aqui podem ditar entre ter um belo vinho ou um vinho perfeito. 
Entre esses longínquos dias e hoje já alterámos quase tudo. Desde a recondução de alguns talhões, passando para a logística de vindima, métodos de prensagem, fermentações (foi o primeiro vinho a "ver-se livre" das leveduras seleccionadas) ..., diria que a única semelhança são mesmo as cubas onde é feito e boa parte das mãos que o fazem nascer.

Tudo isto para que entendas que apesar de muito contentes com as edições passadas, especialmente as que vêm desde 2011 e que têm demonstrado claramente esta afinação do método, receber os resultados das análises físico-químicas da certificação e ter todos os parâmetros dentro dos nossos padrões de perfeição é qualquer coisa que me faz ficar de peito cheio e muito orgulho de fazer parte da história destes vinhos.



Sem comentários: