7 de junho de 2010

Curso de Enologia para Enófilos

Há já algum tempo que matuto na ideia de elaborara um curso de Enologia, mas para Enófilos. Obviamente que não seria o caso de alguém, depois disso ficar apto a fazer vinho, ou, pelo menos credenciado para isso.
Nos cursos de prova, normalmente são abordadas questões técnicas, mas raramente esses cursos são dados por enólogos que se disponibilizem a revelar os seus “segredos” nesta arte tão fascinante.
O que pretendo é dar a visão “de dentro” deste magnífico sector, ao mesmo tempo que explico cada um dos paços da vinificação e demonstro como tomo as decisões que sou chamado a tomar.
Gostaria ainda que este trabalho pudesse servir para desmistificar a profissão de enólogo, acabar com o endeusamento e promover o respeito pela aquisição de conhecimento e valorização de todos os elementos de uma equipa na obtenção de um grande vinho! Valores, quanto a mim, maiores na arte de fazer vinho!
Conto com a vossa ajuda, pois é minha intenção submeter cada sessão para vossa apreciação, no sentido de ir percebendo o que interessa mais e percepcionar algumas lacunas/erros. Para quem me queira ajudar/acompanhar, na construção deste curso, as vantagens são obvias… têm-no de graça!
Gostaria muito de contar com a ajuda de todos!
Deixo uma primeira ideia para reflexão e debate:
Pretendo dividir a coisa em 3 partes:
  1. Antes da adega
  2. Na adega
  3. Na garrafa
Que me dizem?



 



8 comentários:

Miguel Pereira disse...

Hugo, excelente ideia. Eu alinhava numa coisa dessas.
Abraço

OLGA CARDOSO disse...

Acho uma ideia fantástica. Bem haja Hugo! É mesmo de uma coisa destas que estou a precisar.
O maior problema para mim será a distância, mas tentarei ultrapassar isso da melhor maneira.
Para quando está a pensar fazer o curso?

Olga Cardoso

Hugo Mendes disse...

Olga, por agora é mais simples. Antes de levar o curso “para a estrada” quero testar os módulos e perceber onde existe maior dificuldade. No fundo aprimorar.
A ideia primeira é faze-lo aqui no blog. Se tiver aceitação que chegue, não me importaria nada de fazer umas sessões campestres onde se juntaria quem estivesse interessada.
Nesta fase quero elaborar conteúdos e testa-los para fazer as modificações necessárias.
A interactividade, nesta questão é muito importante, pois mais facilmente percebo os pontos que interessam mais e quais os que precisam de mais detalhe!
Conto consigo para construir uma coisa boa!
Obrigado

O gajo do Copo de 3 disse...

Gosto da ideia, mais que não seja porque permite tirar pequenas dúvidas que possam existir sobre alguns detalhes mais técnicos da "coisa".

PS: Fica a sugestão de essa mesma acção pedagógica da tua parte fique inserida no tal evento/encontro que possamos vir a realizar.

PS2: Ajudo no que for preciso.

upwinefood disse...

Gosto da ideia! Como potencial cliente é algo que me atrai e muito!

Gosto dessa divisão, mas antes disso ainda acrescentava um pequeno e light item, 'Como chegou o vinho?' Breve introdução na história do vinho, simbolismo e porquês, daqueles interessantes.

Ou já estaria este contemplado num dos outros?

Paulo Coutinho disse...

Eu percebo a fantasia, mas chamar-lhe curso tira-lhe parte da piada!
Trabalhar ou entender o mundo do vinho, não é algo que, "se quero e posso ou tenho oportunidade, vou aprender..."
Quem quer aprender, vai à luta e consegue!
Existem muitos escanções, cozinheiros ou simples amantes, que a troco de estadia, trabalham nas vinhas e nas adegas gratuitamente!
É assim que se aprende, e não ser amigo do enólogo e/ou do Patrão!
Desculpem a sinceridade.

Hugo Mendes disse...

Paulo,
Obrigado pela intervenção! Gostei de te ler aqui, sabes que és bem vindo! Mas não voltes a pedir desculpa pela sinceridade, pois essa aqui é condição!
Sobre o que afirmas:
Já admiti que não sou a pessoa mais feliz a encontrar nomes para as coisas! Mas talvez, isso seja porque não me interessa o nome que elas tenham!
A ideia aqui nunca foi, nem será, criar enólogos, mas sim, dar, aqueles que assim o desejarem, a possibilidade de descascar alguns conceitos técnicos. Repara, isto nem tem a ver com ganhar dinheiro, numa fase inicial, todo o trabalho será pro bono!
Eu acho que existe cada vez mais pessoas interessadas em perceber o que é isso do vinho e como é que ele aparece! Como é que se chega ao resultado!
Paulo, a diferença é que eu acho que esta coisa (pronto, já não lhe chamo curso!) não é necessariamente o fim, mas pode ser o princípio (mais um, alternativo ou complementar a outros!). O que invalida que alguém que faça uma destas acções, a seguir se sinta impelido a passar uma semana na Quinta do Portal a arrastar mangueiras e a encher-te a cabeça de perguntas? LOL!

Nuno disse...

Olá Hugo.
Eu por mim ajudo no que for preciso e estou bastante interessado em desvendar certas perguntas que sem a devida ajuda, não obterei resposta.