“Os blogs [de vinho] são TODOS uma merda!”


-“Os blogs são TODOS uma merda!”
...
-“Tenho um desses gajos que não pára de me chatear a pedir amostras!”
...
-“Já disse a um deles que quando quiser que ele prove os meus vinhos lhos envio. Ele que pare de me enviar e-mails e pedidos no facebook!”
...
-“Esses gajos não percebem UM BOI de vinho. Querem é MAMAR à pala!”
...
-“Já viste o que aquele gajo escreveu? Aquilo é o quê?”
...
-“Então mas tu não vês que aquilo nem de nota de prova pode ser chamado? Aquilo é uma comédia!”
...
-"Esses gajos são todos uma corja de desocupados!"
...
-"Já não tenho pachorra para os apanhar nos eventos por causa destas aves andarem sempre por lá a pedinchar!"
...
-"um gajo manda o vinho e eles não dizem nada! Às vezes dizem um ano depois quando já o vendi todo!"

Acreditem ou não - sei que a muitos de vós dará mais jeito não acreditar – ouço frases desta natureza, entre uma e duas vezes por semana. Ditas por quem? Por pessoas ligadas à produção e comercialização de vinho.
Eu lá vou defendendo a minha dama. Afirmo que nem todos são iguais, que é necessário separar o trigo do joio, que há malta a fazer coisas com bastante interesse, que trabalhado com rigor podem ser uma ajuda preciosa. Uma aposta de/com futuro.
Nada. Raramente consigo mudar uma opinião que seja. 

Não deixa de me aborrecer depois, quando me pedem ajuda para seleccionar bloggers para convidar para eventos ou enviar amostras, misturem tudo no mesmo saco. Mesmo quando eu rejeito peremptoriamente aqueles que considero bloguetas, afinam e acabam por convidar/enviar a todos. Uns porque não gostam de levantar ondas, outros porque têm medo, outros porque continuam a querer trabalhar mal.

Depois, claro está, voltam à mesma lengalenga de lamurias e lamentações. Na vez seguinte  tornam a convidar/enviar para os mesmos. Usam igual critério de escolha como se isso fosse uma obrigação institucionalizada. 
Não é! 

Meus amigos, nunca como hoje tivemos [produção] a capacidade de criticar quem critica. Seja quem for. Nunca, como hoje pudemos apresentar argumentos discordantes do que dizem do nosso vinho ou da nossa propriedade. Nunca, como hoje, tivemos a possibilidade de isolar um tipo e dizer-lhe que é mal formado, ou no limite… um perfeito “atrasado mental”.
Quando, numa época sem voz  um produtor calava por medo dos “poderosos” críticos… ainda entendia.
Agora, hoje…. 
Ter medo?
Medo de alguém que tem menos canal para comunicar que nós?
Medo do que diz ou faz um blogger?

Tenham paciência pá!


Comentários

Amândio Cupido disse…
Não havia necessidade do hugo invocar outros produtores para dizer mal dos blogues. Mas terei que dizer que, sendo apenas um obscuro enólogo, é muito atrevido. Sou primeiros a comentar e digo que antes de falar de vinhos, tem que os fazer...

Hugo Mendes disse…
Caro Amândio,
Em primeiro lugar, quero agradecer o comentário e o facto de ter expressado o que de facto sente. Não é comum (infelizmente) dar-se a cara pelas opiniões discordantes. Só por isso agradeço.
Depois, eu disse que era difícil de acreditar, mas infelizmente é verdade tudo o que sito. Ou seja, ouço mesmo estas frases.
Eu nunca precisei de me escudar em terceiros para dizer o que penso (basta pesquisar um pouco no arquivo deste blog para confirmar isso). Se ler o texto com atenção, entenderá que a minha crítica é aos produtores, não aos blogs e que explico qual a minha posição face à realidade blogueira.
Agora, reagiu de uma forma que não associava à sua pessoa (nada contra, apenas uma constatação). Saliento dois pontos. Um que gostaria de ver esclarecido, outros que me merece um comentário.
Ponto 1:
“Sendo apenas um obscuro enólogo”-
Tendo em conta que não tenho a palavra “obscuro” na melhor das considerações, quer fazer o favor de me esclarecer o que quis, efetivamente dizer com isto?
Ponto 2:
“…antes de falar de vinhos, tem que os fazer...”
Não posso concordar consigo. Conhece algum crítico ou blog que faça vinho? Ou será que no fundo, acha que nenhum deles fala… de vinho?
Mas não precisamos discutir esta questão conceptual, pois eu faço vinho. Há 7 anos que trabalho no meio e desde 2010 (colheita de 2009) que sou inteiramente responsável técnico pela produção de vinho da quinta que me paga o salário. Dou algumas assistências técnicas a outros pequenos produtores. Num deles desde a colheita de 2008.
O que não faço é enviar amostras para bloggers. Daí talvez, a confusão!
Anónimo disse…
eu nunca recebi amostras, e muito menos as pedi... é uma questão pertinente a deste post.
Anónimo disse…
Do comentário do sr. Amâmdio, concordo totalmente quando se refere ao sr. Hugo como "apenas um obscuro enólogo",
quanto a falar de vinhos, já não estou de acordo este senhor não fala de vinhos nem sabe para isso.

Aqui neste sitio o que reina são as intrigas e os livros que este senhor couprou e vai, um dia, ler.

À gente que confunde liberdade de expressão com libertinagem.

JFM
Hugo Mendes disse…
Anónimo (1º):
Obrigado pelo comentário.
Mas, embora seja um tema que atiça sempre os blogguers. Não é sobre eles, nem para eles.
è sobre a forma como os produtores lidam com ele.
Anónimo disse…
"À gente?"

Quanto a isso de "obscuros enólogos", o que leio é falta de humildade de quem usa a expressão. Quer dizer que os enólogos válidos são os popstars?
Hugo Mendes disse…
Anónimo (2º):
Não sou Sr, e continuo sem entender isso do "obscuro".

Agradeço contudo o facto de continuar a acompanhar e a ler de forma, aparentemente atenta, as coisas que continuo a escrever. E que não são sobre vinho. Dificilmente estou em condições de retribuir o favor. A amabilidade.
Concordo consigo. Há, de facto gente que confunde liberdade com libertinagem.

Anónimo disse…
Caro Hugo se voçê passa-se mais tempo a aprender a fazer vinhos em vez de passar a vida a alimentar estes seus ódios de estimação,talvês um dia olha-sem para si como um enólogo a sério e não como um enóloguetazinho, que passa a vida nas redes sociais e blog's a tentar dar-se a conhecer, infelizmente para si da pior forma.

Jamais esquecerei o que li no link abaixo, quanto ao resto meu caro, como diz o outro liberdade não é libertinagem.

http://pingasnocopo.blogspot.pt/2012/11/quinta-do-sobral.html
Anónimo disse…
"Se voçê passa-se"???
Credo. Mais vale fechar o blog, uma vez que é só analfabetos a comentar!
Anónimo disse…
para se ser cagão, convém acertar o português.

e um blogger apaga do seu blog com toda a legitimidade aquilo de que não gosta. o espaço é dele.
Hugo Mendes disse…
Meu caro anónimo,
Sinto-me feliz, hoje, por perceber que existe alguém preocupado com o meu futuro profissional. Tomarei as suas recomendações em conta.
Sinto-me também honrado de saber que me citará nas suas memórias.Não me acho digno de tamanha honra.
Muito obrigado.
Anónimo disse…
lololo tem razão uma falha imperdoável, já agora faço eu próprio o autor desta barbaridade literária a sua errata.
Onde se lê: “passa-se” deverá ler- se “passasse”, no lugar de “voçê” será “você”, “talvês” credo “talvez” e por fim “olha-sem “ deverá ler-se “olhassem”.
Lamento sem desculpa mais foi indevidamente escrito a conduzir, outra barbaridade. Espero que tenha valido pelo conteúdo.
Amândio Cupido disse…
Caro Hugo Mendes

Antes de mais um humilde e sincero pedido de desculpas, já que li o seu post quase na diagonal, retive o principio e o fim, sem atentar no meio e ainda o vim insultar sem motivo.

Explico: pareceu-me que estava a ler pela cartilha de alguns produtores e a tratar abaixo de cão os bloguetas que tão bem analisa no seu post, mas ao mesmo tempo a deitar abaixo as pessoas que escrevem sobre vinho, por simples prazer.
Há blogues e blogues e eu, não sendo wineblogger, fiquei encanitado porque realmente me pareceu que estava a malhar nos ditos, qual geirinhas de há uns tempos atrás.

O termo "obscuro enólogo" foi insultuoso, mas apenas porque fiquei a pensar que não era o Hugo Mendes que eu apenas e_conheço, interventivo, reflexivo, mas um outro que malhava.

Lida a sua resposta ao meu (infeliz) comentário, tenho que lhe dizer para fazer mais vinho :)

E não se preocupe que não lhe vou pedir amostras :)
Hugo Mendes disse…
Caro Amândio,
Não sinto necessidade de um pedido de desculpas. O simples esclarecimento é suficiente.
Estou-lhe muito grato pelo gesto.
(há muito tempo que ninguém me pede amostras…. ; ))
Anónimo disse…
No fundo no fundo não passas de um azeiteiro, meu caro Amndio não se iluda a leitura que você diz que fez na diagonal é a que este artista queria que figura-se.

Quanto a ser o mensageiro de alguns peseudo produtores, isto até dá para rir, todas as semanas, os pseudo produtores vão ter com este artista, por vezes mais do que um por semana para se queixarem da merda dos blogger's.

Meus caros blogger's, por educação ou receio de serem apontados como virgens ofendidas, não embarquem neste barco, sejam homenzinhos, tudo tem limites.

De uma vez por todas coloque aqui quem são estes bloguetas alvos de queixas e as razões para tal nomiação.

Mas é claro que não colcas, não passas de um hipócrita, tal como alguns destes blogger's não dispensam as amostras tu não dispensas que os que intitulas de bloguetas façam parte da peseudo camera de provedores da twa.

PM
Pingus Vinicus disse…
PM, eu faço parte da Câmara de Provadores twa.

E Hugo, estou com inveja, não pode ser! Tanto comentário anónimo. Pensava que isso era apenas privilégio meu. Está mal, muito mal.
Hugo Mendes disse…
Ontem, alguém me perguntava porque dava eu conversa a anónimos.
Respondi que me divertiam. Mas no fundo não é isso. Quando tema toca nos blogs, é sempre bom dar alguma corda a este tipo de comentários. Mais cedo ou mais tarde acabam por me dar razão.
Para além de um desequilíbrio de personalidade claro, o anónimo que assina com diferentes identidades (se é que um acrónimo pode ser considerado identidade), demostra precisamente o contrário do que afirma.
Pede nomes quando nem sequer consegue dar o seu (eu por acaso não tenho dúvidas, mas o resto das pessoas talvez tenha).
Quer dar uma ideia de mim e do meu trabalho como se eu fosse, de facto uma criatura repugnante. Contudo, aparentemente, sabe tudo sobre mim e o que faço para me promover. È um fã, portanto!
Ofende todo e qualquer um que apresente uma posição diferente da sua.
Por fim, apela constantemente ao esquecimento e ao desprezo pelas minhas afirmações. Mas até ao volante consulta e opina nesta discussão. Sabe tudo sobre mim, inclusivamente o que tenho e o que não tenho feito online e fora dela. Refere a câmara de provadores como se tivesse alguma autoridade para falar do que lá se passa ou das pessoas que dela fazem parte.
È claro.È obvio. È evidente que o Sr é um rato e está a tentar, debilmente, defender uma posição. Fraca e moribunda. A sua.
Mas fale. Sim, fale. Que quanto mais fala mais lhe descobrimos o âmago!
Você é um blogueta. Dos grandes!
Agradeço-lhe a ajuda que me tem dado. Tanto na propagação do meu nome como na justificação das minhas lutas.
Anónimo disse…
Caro Hugo Mendes
Em primeiro lugar quero e para que não fiquem duvidas esclarecer que o Azeiteiro a que me referia no comentário anterior é o autor desta novela o Enólogueta Hugo Mendes.
Lamento desiludir-te meu caro Hugo mas eu só posso responder pela assinatura “PM” e digo-lhe mais, uma vez lhe comuniquei que não sou blogger mas tenho bons amigos que o são, a minha intervenção vem, também, porque alguém trouxe à baila uma intervenção que fiz, a seu respeito ou melhor à cerca destes seus ódios de estimação, noutro blog.
Mas consigo a saga continua, de a tempos a tempos já lá está você outra vês a roer a roer os que no fundo andam perto de si, o rato aqui é você meu caro, estou-me nas tintas para a pouca porra que você é e representa, apesar de o conhecer bastante bem não sou nem nunca serei seu amigo.
Quanto aos nomes, você é realmente atraso mental, então você lança um post intitulado “Os blogs [de vinho] são TODOS uma merda!”, com “TODOS” em maiúsculas, e em nome dos PESEUDO-PRODUTORES põem toda esta gente no mesmo saco, e quer fazer querer a quem lê esta porra de blog que é apenas UM MENSAGEIRO lolo, e o nome que importa é o meu lolo
Quanto à autoridade que tenho ou deixo de ter para falar da PESEUDO camara de provedores twa, é mais uma das suas debilidades mentais, em nome de peseudo-produtores critica os blogues com toda Autoridade, até lhes atribui a ilustração de bloguetas, até aos tais, “alguns”, que FAZEM PARTE DA DITA PESEUDO CAMARA DE PROVEDORES TWA e eu é que estou usurpando a autoridade? De quem? A sua? Você nem moralidade tem para com esta gente que o rodeia. Vai-se tratar meu caro e até depois quem sabe não possa publicar a historia.

Cuidado com as recaídas.
PM
Flavio Henrique disse…
Caro Hugo,
Confesso que fiquei um pouco apreensivo ao ler o título de sua postagem. Mas acredito tê-la entendido após ler o texto.
Sem dúvida, temos blogueiros (prefiro a "bloggers") dos mais diferentes tipos. Alguns que, além de apreciarem ótimos vinhos, escrevem poeticamente sobre eles. Outros, que escrevem mal (e não são poucos...). Uns, que utilizam o blog em busca de "bocas-livres" (bajulam a tudo e a todos). Outros tantos, informam, e muito bem. Cada um, de seu jeito.
Eu faço parte do time que bebe vinho e coloca no blog as impressões amadoras sobre eles. Eu compro os vinhos (pago caro, pois todos sabem quanto custam no Brasil) e escrevo algumas linhas a respeito. Isso, de forma independente e isenta. E assim, me divirto: bebendo, escrevendo, atraindo amigos e visitando uns 10 blogs que penso valerem a pena (dentre as centenas existentes).
Um abraço,
Flavio
Hugo Mendes disse…
Caro Flávio,
Obrigado pelo sou comentário.
Com certeza que sim. Existem bloggers com todo o tipo de intenções.
A realidade de que fala não é diferente da nossa. Acredito até que nos últimos anos têm aparecido umas ideias interessantes na blogosfera portuguesa. Uns vingarão, outros não. Mas isso é a vida.
Até de entre os mais antigos, tenho assistido a adaptações bem interessantes. Mudanças de atitude que demonstram entendimento pelo meio e pelo ambiente envolvente (leia-se, restantes consumidores e todo o universo de leitores).
Não sou contra (nem necessariamente a favor) nenhuma forma de actuação desde que seja feita com boas intenções.
O que tentei muitas vezes dizer aos bloggers portugueses com quem me dou/dei é que o comportamento de quem tem intenções dúbias leva a este tipo de observações por parte dos produtores.
Continuam a achar que são devaneios meus e perseguição a supostos inimigos. Continuam a achar que isso não é problema deles. Continuam convencidos que arranjei aqui uns moinhos de vento para combater.
Pois que paguem para ver.

Mensagens populares